Reuso de Efluentes

O país que antes era conhecido por sua abundância de água, hoje, corre atrás do prejuízo buscando novas fontes de abastecimento para amenizar os efeitos da crise hídrica, como o reúso de efluentes.

O tratamento de águas para reúso em atividades que não demandam a utilização de água potável é uma das formas utilizadas que mais contribuem com a preservação de recursos hídricos.

Em algumas cidades do país, como São Paulo (SP), Sorocaba (SP) e Salvador (BA), essa atividade já se tornou lei para empreendimentos que trabalham, de alguma forma, com lavagem automotiva. Os locais que realizam lavagem de automóveis e não possuem o sistema completo para reúso podem receber multas e até perder o alvará de funcionamento.

As autoridades brasileiras também estão realizando projetos de lei para o reúso de água da chuva em imóveis novos (residenciais e comerciais), que possuem área de solo acima de 500m² e 25% do terreno impermeabilizado.

De acordo com Solange Zeppini, gerente de Marketing da Hydro Z, uma das principais empresas desenvolvedoras de soluções para tratamento de efluentes, a população tem se conscientizado e está predisposta a reutilizar água. “Hoje, os benefícios do reúso de água após o devido tratamento estão mais claros para todos. Quem adere ao reúso consegue tanto preservar o meio ambiente, como reduzir seus gastos”.

Apesar de ser uma atividade relativamente nova no Brasil, países como Estados Unidos, Austrália, Reino Unido e Arábia Saudita já realizam esse tipo de procedimento em grande escala com sucesso para enfrentar a escassez hídrica em seus centros urbanos.

Deixe seu comentário